Givenchy morre aos 91 anos

No sábado passado, 10/03, o mundo da moda perdeu um de seus ícones, Hubert de Givenchy, que morreu aos 91 anos. Fundador da maison que leva seu nome, marcou a história com suas criações que encantaram e vestiram mulheres poderosas como Grace Kelly, a Duquesa de WindsorJacqueline KennedyBabe PaleyGloria GuinnessJane Fonda, Deeda Blair.

Mas a verdadeira musa de Givenchy era Audrey Hepburn, para quem ele criou não só roupas para ocasiões especiais e de sua vida pessoal, mas também de personagens icônicos da atriz, como os dos filmes Funny Face (1957) e Breakfast at Tiffany’s (1961).

Nascido em Beauvais, Hubert se mudou pra Paris aos 17 anos pra estudar na École des Beaux-Arts.

Trabalhou em grandes maisons como a de Jacques Fath, Elza Schiaparelli e a de Lucien Lelong. Lá ele trabalhou lado a lado com outros dois grandes nomes da moda: Christian Dior e Pierre Balmain,  que como ele iriam abrir suas próprias casas.   

Abriu sua maison com apenas 25 anos. Seu primeiro grande hit foi a blusa Bettina, em homenagem à top da época, Bettina Graziani. Dois anos depois, em 1954, ele lançava uma linha de prêt-à-porter de luxo.

Desde que deixou a direção-criativa da marca em 1995, a maison viu John GallianoAlexander McQueen e Julien McDonald assumirem o posto, até a chegada de Riccardo Tisci, em 2005. O italiano ficou durante 12 anos na grife, saindo em 2017, sendo substituído por Clare Waight, primeira estilista mulher da etiqueta.

Segundo Philippe Venet, o marido de Hubert, ele morreu enquanto dormia.

A marca fundada pelo estilista soltou uma declaração oficial que diz: “A casa Givenchy está triste em comunicar a morte do fundador Hubert de Givenchy, uma grande personalidade do mundo da alta-costura francesa e um cavalheiro que simbolizou a elegância parisiense por mais de meio século. Ele vai fazer uma falta imensa”.

 

 

 

No Comments
Leave a Comment: